terça-feira, 12 de outubro de 2010

Semana Especial Dia Das Crianças Entrevista com a mamãe Keila Borges


E hoje encerramos nosso Especial Dia das Crianças e fechamos com chave de ouro!


Uma entrevista com Keila Borges, Produtora e mamãe de dois meninos sendo que o seu caçula nasceu recentemente e em um momento de pausa nos contou um pouco sobre sua vida, infância e sobre como vai passar o dia das crianças!

Confira!!!

Sou Keila Borges, tenho 31 anos, sou casada com o camilo e mãe de dois meninos lindos.

Apesar de ter vivido a vida inteira em São Paulo e me considerar uma paulistana nata e da gema, depois de "grande" optei por viver no rio, junto com o marido.

Sou formada em rádio e tv e trabalho com pós-produção de programas de tv e publicidade.

MNCS: Onde você passou maior parte da sua infância?

Eu nasci e cresci em São Paulo até uns nove anos de idade, viviamos em Ermelindo Matarazzo, um bairro afastado da zona leste que na época, era muito tranquilo, ainda tinha ruas de terra e parecia uma vilinha, quase uma cidadezinha do interior.

Acho que tive uma infância meio à moda antiga, onde tinha aquela coisa de brincar na rua, dos vizinhos serem a turma, de brincar de carrinho de rolimã, bicicleta, explorar os terremos baldios da vizinhança, fazer fogueira, brincar de esconde-esconde e pega-pega, empinar pipa... depois, quando eu tinha dez anos, minha família se mudou pro centro de São Paulo, fomos morar num apartamento, no bairro da Liberdade.

Pensando hoje em dia, foi um paradoxo: fomos pra Liberdade pra vivermos mais presas que antes. Não foi ruim, mas, outro tipo de convivência. até porque a adolescência estava batendo à porta então, tudo foi mudando: os amigos eram os da escola, a tv era mais presente, o shopping passou a ser uma realidade e por aí foi...

MNCS: Quando você pensa na sua infância qual a primeira lembrança que vem na sua cabeça?!

hummm... não é bem uma lembrança, é quase uma sensação. 

Me lembro muito de que volta e meia rolavam uma festas da rua. festa junina, de natal, das crianças... coisas assim. todos ajudavam a organizar, todos participavam, até os vizinhos que nunca apareciam, entravam na roda....enfim, é um sentimento de comunidade, de confiança e familiaridade que dificilmente a gente tem hoje em dia, com os vizinhos do prédio ou da rua. Todos ficamos mais desconfiados, talvez.

Uma vez, nós, as crianças, resolvemos fazer uma festa de aniversário surpresa pra minha irmã, ficamos organizando tudo em reuniões e cochichos super-secretos durante dias, até um adulto descobrir... o melhor foi que esse adulto "achou tão bonitinho" e resolver ajudar. acabou virando o maior festão e até hoje é a festa que minha irmã tem mais lembrança da vida dela...tanto que passou a ser da minha também.

MNCS: Qual era a sua brincadeira preferida?

Eu não tinha muito isso da brincadeira preferida mas, eu gostava muito de brincar de casinha com minha irmã e as vizinhas "do lado". 

A gente usava pedrinhas, areia, flores e capim pra fazer a comidinha nas panelinhas de brinquedo, fazíamos tooooda a rotina de casa e até de trabalho (sim, tinha uma mãe que trabalhava fora na brincadeira).

Era quase uma novelinha com direito a personagens que a gente ia interpretando todos os dias... também tinha noites que a gente fazia uma fogueira do outro lado da rua e ficavamos até mais tarde contando histórias de terror inventadas na hora mesmo.... cada história cabeluda saída das cabeças das crianças... era engraçado.

MNCS: Agora que você é mãe como é o seu dia das crianças? Comparando a sua infância com a deles....o que a geração dos seus filhos perdeu e ganhou.

Poxa, hoje sou mãe de dois meninos.

O Kyrá, está com 1 ano e 8 meses e está no auge da descoberta das brincadeiras e do mundo e o mais novinho, é recém-nascido, tem 12 dias, e ainda está aprendendo a abrir os olhinhos. 

Eu não arriscaria dizer que a geração do Kyrá perdeu coisas em relação à minha porque são épocas tão diferentes apesar de próximas...a tecnologia transformou o mundo e as relaçoes humanas mas, percebo que atualmente, todas as opções estão disponíveis e quem vive mais afastado dos centros urbanos, pode ter uma infância até mais à moda antiga do que a que eu tive 20/25 anos atrás.

E, além do meio, as opções dos pais são poderosas influências. hoje, nós vivemos no rio de janeiro, perto do aterro do flamengo e das praias também. acho bacana que os meninos tenham a oportunidade de estar mais ao ar livre e em contato com a natureza, apesar de morarmos em apartamento. acho que o Rio tem um "ar" um mais descontraído e uma qualidade de vida bacana.

Apesar disso, precisamos estar atentos ao que oferecemos a eles, procurando, de alguma forma, resgatar e ensinar aspectos bacanas da infância: de brincadeiras e cantigas de roda até os brinquedos simples que estimulam a criatividade e a imaginação.

Não dá pra ficar escravo da tv e dos brinquedinhos de apertar botão e fazer barulho simplesmente. Tem que haver essa mescla de informação cultural e de gerações.

MNCS: O que vocês vão fazer no dia 12...já esta programado

Nesse dia 12 vamos sair pra ver circo e curtir o dia das crianças ao ar livre.

MNCS: Tem alguma mania de criança que você mantem até hoje?

Mania? hummm, não sei. acho que vou ter que perguntar pra minha mãe, heheheheh...

MNCS: Você guardou algum brinquedo da infância?!

Tenho comigo ainda um coelhinho amarelo, que minha mãe conta que ganhei de uma prima, quando ainda estávamos na maternidade. o nome dele é "Bichinho" e hoje em dia, ele está meio encardido, tem o nariz mordido (era minha compulsão de criança morder aquele nariz) e como sempre, perdendo a espuminha interna atraves de incontáveis buraquinhos que se abrem em suas costuras laterais.

Na verdade, o Bichinho agora está com o Kyrá, junto dos brinquedos dele

É isso aí Mulheres no Comando, terminamos com Keila que contou coisas bem bacanas sobre sua experiência como mamãe! O Especial acabou mas continue a compartilhar suas experiências aqui!!

Semana que vem tem mais Especial ....Mulheres no Cinema!!! 

Como alguns já sabem tô no meio deste babado e pude conhecer mulheres que estão realizando trabalhos bem diferentes...aguardem!!!