segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Pesquisa indica que crianças capazes de tolerar frustrações têm mais chances de ser bem-sucedidas quando maiores

Essa vai para as mamães!!!

Uma nova pesquisa mostra que crianças que apresentam maior autocontrole aos 3 anos de idade se tornam adultos mais saudáveis e bem sucedidos. Por outro lado, aquelas que apresentam menor autocontrole são mais propensas a abandonar a escola, infringir a lei e ter problemas financeiros, concluíram os autores do estudo.
Pesquisadores analisaram dados de cerca de 1.000 crianças neozelandesas nascidas nos anos de 1972 e 1973 e acompanhadas até os 32 anos de idade. O autocontrole dos participantes do estudo foi medido em diversos pontos da vida, desde os 3 anos de idade, através de avaliações feitas por professores, pais e pelos próprios participantes.

De acordo com o estudo, publicado online no final do mês passado no “Proceedings of the National Academy of Sciences”, crianças com alto QI e de famílias mais favorecidas em termos socioeconômicos se mostraram mais propensas a ter mais autocontrole.

As crianças com menores índices de autocontrole mostraram maior propensão a adotar comportamentos negativos – como engravidar na adolescência, fumar e ficar desempregado. As crianças que aos 3 anos apresentaram baixo índice de autocontrole também foram mais propensas a enfrentar dificuldades financeiras e problemas de saúde na idade adulta. Elas também se mostraram mais propensas ao vício de fumar, consumir álcool e drogas mais pesadas.

“O autocontrole é essencial para examinarmos o horizonte e nos prepararmos para o que pode acontecer, para planejarmos com antecedência onde queremos chegar, para desenvolvermos bons relacionamentos, atraindo o apoio e a ajuda do próximo, e para esperarmos pelas coisas realmente boas que valem a pena ser aguardadas – em vez de corrermos atrás da diversão a curto prazo.

Todos nós usamos nosso autocontrole todos os dias, mas algumas pessoas têm mais habilidade que outras”, disse Terrie Moffitt, professora de psicologia e neurociência da Duke University e principal autora do estudo.

Os pesquisadores encontraram uma ligação semelhante entre o autocontrole aos 5 anos de idade e o sucesso mais tarde. Ao usar dados de 500 pares de gêmeos na Inglaterra, eles constataram que os irmãos com índices mais baixos de autocontrole aos 5 anos de idade apresentaram maior propensão a fumar, ter baixo desempenho escolar e adotar comportamentos anti-sociais aos 12 anos de idade.

“Sem dúvida crescer em uma família rica ou pobre faz diferença. E se somos dotados de inteligência e talento, isso certamente também faz diferença. Mas o que também importa é o comportamento que geramos, a forma como lidamos ou controlamos nossos impulsos e as decisões que tomamos. Somos agentes ativos, pilotando o avião de nossas vidas”, comentou Terrie.

Se você já presenciou seu filho esperneando no chão porque você disse que era hora de ir embora do parquinho, ou dando socos e pontapés enquanto você tentava levá-lo para o chuveiro, talvez você esteja se perguntando: isso é um exemplo de pouco autocontrole?
Talvez, mas pesquisadores ressaltam que somente se isso acontece com frequência e em situações diversas.

O estudo classificou o baixo autocontrole como pouca tolerância a frustrações, falta de persistência para alcançar objetivos, dificuldade de finalizar tarefas, impulsividade, agitação e dificuldade de aguardar por sua vez.

“Uma criança de 3 anos de idade e bom autocontrole consegue concentrar-se em um quebra-cabeça ou em um jogo até solucioná-lo. Ao passo que é provável que a criança com pouco autocontrole irá se recusar a jogar qualquer coisa que demande algum esforço, abandone o quebra-cabeça incompleto para correr pela sala, perca a paciência, jogando o quebra-cabeça na outra criança e acabe caindo no choro ou fazendo birra, em vez de sentir alguma satisfação”, explicou Terrie.

A boa nova é que o autocontrole pode ser ensinado, disse Alex Piquero, professor de criminologia da Florida State University. De acordo com a pesquisa, as crianças que conseguiram melhorar o autocontrole com a idade se saíram melhores na vida adulta do que indicavam seus resultados iniciais.

“Muitas pesquisas já mostraram que existem treinamentos eficazes que podem ser adotados por pais e professores nos primeiros 10 anos de vida, para melhorar o autocontrole das crianças. Se conseguirmos detectar cedo estas falhas, estas crianças poderão melhorar o autocontrole e os resultados negativos serão evitados”, explicou Piquero.



Fonte: IG
(Tradução: Claudia Batista Arantes)