sexta-feira, 8 de julho de 2011

Pneumonia leva 1 mulher ao hospital a cada dois minutos

A atriz Cléo Pires, a apresentadora Sabrina Sato, a cantora Wanessa, a modelo Mariana Wrickert e a presidenta Dilma. O que parece a lista de uma festa VIP, na verdade, trata-se só de algumas mulheres que precisaram ser internadas por causa da pneumonia.
A doença é líder entre os motivos de hospitalização do público feminino – sem contar o parto - e, só nos primeiros meses do ano (entre janeiro e abril), foi responsável por 110.892 registros em hospitais de todo País.
A matemática evidencia o tamanho do problema provocado por esta doença respiratória, já que as contas feitas com base no banco de dados do Ministério da Saúde indicam que uma mulher foi internada a cada dois minutos. Tudo isso durante o verão nacional, quando se sabe que os casos tendem a aumentar em 30% agora, com a chegada do inverno.
Saiba tudo sobre a pneumonia
"O ar que nós respiramos está cada vez mais poluído e isto agrava doenças como pneumonia, rinite, bronquite e todas as outras", explica o pneumologista do Hospital do Coração de São Paulo (HCor), Carlos Carvalho. "No inverno a situação complica porque o ar fica mais seco, aumenta a concentração de poluentes e as temperaturas mais frias também danificam mais a proteção das vias respiratórias."
Eles e elas

Não há nenhuma evidência de que a pneumonia é mais grave nas mulheres do que nos homens. Os especialistas já sabem que os obesos e as obesas correm mais risco caso infectados, porque têm o sistema imunológico mais frágil, acumulam mais secreção e ainda sofrem mais de refluxo, que também agrava a pneumonia.
Além deles, o sistema imunológico durante a gravidez também pode ficar comprometido e favorecer as infecções das vias respiratórias.

Fonte: IG